Articles Comments

Site da Lihpe – Liga de Pesquisadores do Espiritismo/Association of Researchers on Spiritism » 13º ENLIHPE – São Paulo/SP (Sediado na U.S.E./SP)

13º ENLIHPE – São Paulo/SP (Sediado na U.S.E./SP)

Logo ENLIHPE

13º ENCONTRO NACIONAL DA LIGA DE PESQUISADORES DO ESPIRITISMO
Tema central: “Preces e Curas Espirituais
26 e 27 de agosto de 2017
São Paulo-SP

Local:
USE (União das Sociedades Espíritas do Estado de São Paulo)
Rua Dr. Gabriel Piza, 433 – Santana – CEP: 02036-011 – São Paulo – SP
Tel:  (11) 2950–6554 – http://www.usesp.org.br

________

 

A décima terceira edição do EnLihpe13º Enliphe -, ocorrido neste ano de 2.017, sediado nesta ocasião no prédio da USE/SPUnião das Sociedades Espíritas de São Paulo – tratou do histórico relacionados às pesquisas sobre Preces e Curas Espirituais. Foram apresentados vários trabalhos com a temática, alguns estudos, inclusive, se debruçaram na produção de outros pesquisadores. Também foram apresentados alguns trabalhos de pesquisa em relação ao Espiritismo, mas com temáticas não focados no tema central.

As primeiras informações sobre essa edição do Encontro já foram disponibilizadas logo no 12º Enlihpe, quando a Comissão Organizadora definiu as datas de 26 e 27 de agosto para o encontro, sendo mantida a atual sede para os encontros, a saber o prédio da USE/SP – União das Sociedades Espíritas de São Paulo, também sediada em São Paulo/SP – , para sua realização. O encontro contou também com a participação do CCDPE-ECM colaborando, juntamente com a USE/SP, da organização do evento

O Próximo passo da Comissão Organizadora foi a publicação da abertura do certame àqueles pesquisadores que se interessassem em submeter suas pesquisas ou propostas de trabalhos para o Encontro. Também foram anunciadas as regras de submissão e seleção das propostas apresentadas ao Encontro (a publicação da chamada dos trabalhos pode ser verificada aqui).

O encerramento oficial do período de submissão dos trabalhos deu-se, de fato, em 30 de abril. Neste ano não houve prorrogação do recebimento de trabalhos para o certame. Foram recepcionados diversos trabalhos e remetidos para os responsáveis pela análise segundo os critérios estabelecidos pela Coordenação do Evento e divulgados. Ao final do período de avaliação, foram os pesquisadores interessados comunicados particularmente dos resultados de seus trabalhos, escolhidos os temas que seriam apresentados e ultimados os preparativos para a apresentação nos dias do evento. Também foram convidados grupos de pesquisadores para promoverem pesquisas a serem apresentadas no evento, relacionados com o tema central.

Em 05 de junho, foi publicado o cartaz oficial do Evento. Também foram apresentadas informações para a inscrição de participantes do evento, secretariado pela equipe da USE/SP – União das Sociedades Espíritas de São Paulo, assessorada pela equipe do CCDPE-ECM (clique aqui para ver).

Oportunamente, saiu a Programação Oficial, com datas e horários, temas e palestrantes foram disponibilizadas poucos dias antes desta edição.

PROGRAMAÇÃO – 26/08/17 – Sábado

09h10 PalestraComo trabalham os pesquisadores (Jáder Sampaio)
10h30TrabalhoTerapia Fluídica: Apresentação de um Instrumento de Avaliação (Raphael Vivacqua Carneiro e Clóvis Aurélio Vervloet)
11h20Palestra – Efeitos do passe espírita em pacientes internados em hospitais (Élida Mara Carneiro)
13h30Atividade artística
14h00Roda de ConversaTeorias Científicas e Espiritismo (coordenação: Alexandre Fontes da Fonseca)
14h50TrabalhoUma exploração inicial em análise semântica latente de cartas psicografadas (Ademir Xavier Jr.)
16h00MesaAnálise de pesquisas sobre trabalhos científicos relacionados a prece e curas espirituais (Jáder Sampaio e Gilmar Trivelato)

PROGRAMAÇÃO – 27/08/17 – Domingo

08h00  Assembleia da LIHPE
09h10 Atividade artística
09h30 Pesquisa em andamento Pomadas, cirurgias e curas espirituais: práticas estranhas versus prática espírita. (Adolfo de Mendonça Jr.)
10h40Trabalho Identificação de água fluidificada/energizada por médium vidente: Um experimento piloto. (Janaina Dantas e Sandro Fontana)
11h30TrabalhoMagnetismo ou Espiritismo? (Alexandre Fontes da Fonseca)
12h20 – Homenagem a Lamartine Palhano Jr. (Raphael Vivacqua Carneiro)

Nesta oportunidade, contamos a parceria na gravação de imagens e transmissão ao vivo das atividades pelo Canal du Bem.

O Encontro iniciou-se no sábado, às 9h00, e durante as 16 horas de evento, contamos com a exposição diversos trabalhos e a realização de diversas palestras e mesas de debate/discussão.

Nas atividades de Sábado pudemos acompanhar:

A partir de 9h35 até 10h15 – Ocorreu a palestra de Jader SampaioComo trabalham os pesquisadores (Preces e Curas Espirituais) – Em resumo, comentou-se que temos um público heterogêneo, que vão desde pessoas acadêmicas com nível de doutorado com publicações internacionais, assim como pessoas interessadas no Espiritismo. Hoje temos dentro da Lihpe algumas questões que são discutidas até hoje na universidade: o que é ciência? Kardec afirma que Espiritismo sem ciência fica sem comprovação, e que o Espiritismo precisava vir após a ciência senão não lograria êxito. A ciência não é apenas um método de trabalho que se executa para promover conhecimento. Encontramos diversos conceitos de ciência. geralmente ligados às espécies desta (Ciências formais, empírico-formais e hermenêuticas). Toda ciência constrói um corpo teórico. A hermenêutica, então, busca o espírito da ciência nas diversas áreas. Durante nossa  formação, passamos pelos estágios do Ensino Fundamental e Médio, recebendo conhecimento amplo. Na graduação, escolhemos uma área de estudos. No Mestrado, aprofundamos esse  estudo, apresentando ao final uma Tese que tem como finalidade demonstrar o domínio no conhecimento dessa área. No Doutorado, encontramos um aprofundamento muito maior com o  afunilamento do assunto, para apresentar uma contribuição à área. Ainda temos o Ph.D que significa a existência de um trabalho de pesquisa muito grande a fim de responder a uma  “pergunta”, que será avaliada por uma banca de especialistas na área. Precisamos ter cuidado para não fazer afirmações em áreas que não temos domínio do conhecimento. O que a  gente faz é colocar um “tijolo nessa parede”, dar uma pequena contribuição para o conhecimento. Pesquisadores sérios vão querer sempre ouvir crítica, mas sim de quem tem  conhecimento na área, e que traz uma crítica fundamentada, para melhoria de seu trabalho. O conhecimento científico é um conhecimento falível, porque o pesquisador trabalha com  hipóteses. Hoje o conhecimento está baseado em evidências bem mais que em experiências. A ciência, especialmente aquelas que trabalham com amostragem, está sujeita a resultados  com falhas e, por conta disso, são criados mecanismos de segurança, através do uso de grupos experimentais e de controle. A fim de darem mais segurança aos estudos, as pesquisas  são replicadas por outros grupos, surgindo os níveis de evidência e os graus de recomendação dos estudos. São classificações que buscam dar força a determinadas pesquisas.  Seguiram-se perguntas, respostas e comentários.

A partir de 10h40 até 11h28 – Foi apresentado o trabalho sobre Terapia Fluídica: Apresentação de um Instrumento de Avaliação, de autoria de Raphael Vivacqua Carneiro e Clóvis Aurélio Vervloet, apresentado pelo primeiro. Apresentados os termos da pesquisa dos autores, o resultado foi que após a aplicação de uma terapia fluídica houve melhora significativa. Foram encontradas diversas pesquisas que apontaram a produção de melhora em indivíduos comparando-se o momento anterior e posterior a aplicação de uma terapia fluídica. Foi escolhida uma instituição espírita e adotou-se procedimentos para coleta de dados, sem alterações da sistemática de trabalho da organização. Utilizado formulário adaptado tendo como base em outro da AME-Brasil, de 2002, consta de 2 página (uma folha frente e verso). A amostra foram de 50 indivíduos, sendo que em uma escala de 0 a 10, o tratamento recebeu nota média final de 9,76. Analisados cada um dos indicadores da pesquisa, foi possível perceber uma sensível melhora na condição da percepção de bem estar/saúde dos indivíduos. Vale destacar que a amostra apontou ser um acervo de indivíduos favorável ao tratamento fluídico posto que houve grande aderência ao mesmo. Seguiram perguntas, respostas e comentários.

A partir de 11h30 até 12h40 – Trabalho sobre Efeitos do passe espírita em pacientes internados em hospitais, de autoria de Élida Mara Carneiro. Historicamente, as pesquisas de cunho espírita iniciaram-se com a implantação da capelania espírita dentro do Hospital das Clínicas da Universidade Federal do Triângulo Mineiro e surgiu a necessidade de analisar eventuais resultados da adoção da terapia espírita complementar. Após uma revisão bibliográfica, não encontrou-se nenhum trabalho que avaliasse a imposição de mãos pelo passe espírita. Por conta disso, foi realizado um trabalho de avaliação do passe espírita em um grupo de bactérias, que foi publicado em uma revista internacional. Utilizaram-se para a pesquisa de informações teóricas extraídas dos livros da Psicografia de André Luiz. A pesquisa foi estruturada e a metodologia foi definida. Foram definidos três grupos: a que recebeu o passe espírita, outro que recebeu imposição com intenção curativa e um terceiro que não recebeu nenhum destes tratamento. Não houve contato entre aplicadores e indivíduos que receberam o tratamento. A distância de aplicação escolhida foi de 10 a 15 centímetros. A amostra da primeira pesquisa, mostrou-se heterogênea, especialmente no critério religioso, e foram encontrados indivíduos que rejeitaram a participação na pesquisa. Foram encontrados resultados positivos no sentido na diminuição da tensão muscular e melhoria na sensação de bem-estar. Não foram encontrados resultados em relação a benefícios sobre redução de dores, embora a amostra não contemplasse essa questão. Também não foram encontradas significativas alterações em relação a frequência cardíaca e/ou oxigenação periférica. A amostra da segunda pesquisa, focada a pacientes internados, foram encontradas diferenças significativas no grupo que recebeu o passe espírita, ainda que comparado com a imposição de mãos com desejo de cura, embora ainda neste houvesse alguma alteração neste último grupo. A terceira amostra constou-se de recém-nascidos. A conclusão geral da pesquisa foi a redução significativa dos sintomas daqueles que receberam passe espírita, em relação aqueles que receberam a imposição de mãos e aqueles que não receberam nem um e nem outro. Em relação aos recém nascidos também foi possível perceber aumento significativo dos valores ligados aos índices de imunidade. Sugiram-se perguntas, respostas e comentários.

Após o almoço, das 14h10 até 15h00 – Foi realizada a Roda de Conversa, sob a coordenação de Alexandre Fontes da Fonseca, focado para no tema: Teorias Científicas e Espiritismo. Nesta atividade apurou-se que o Espiritismo tem valor científico, segundo até estudos realizados após seu surgimento. Colegas de várias áreas tem acepções diferentes sobre produção do conhecimento. O Movimento Espírita parece não estar  percebendo o valor da produção científica em aspectos filosóficos e religiosos. Não é porque se quer valorizar Kardec que a produção do conhecimento não seja científico. Kardec,  item 55, da Gênese trata sobre o aspecto progressista da Doutrina Espírita. Quando analisamos as crenças em relação a verdade, encontramos coisas que estão dentro da verdade,  que não são conhecidas, outras que são crenças, mas não são verdades. Há um conjunto de intersecção entre verdade e crença, e dentro deste um grupo que é o conhecimento, que a ciência busca conhecer, ou seja, trazer o conhecimento para todos. Segundo teorias da filosofia da ciência encontramos, a ciência possui núcleo teórico formando por princípios fundamentais vigentes, um conjunto de teorias e conceitos auxiliares que fazem a ligação entre o núcleo fundamental e os fenômenos, um conjunto de regras positivas e negativas que norteiam e guiam a pesquisa e métodos de pesquisa e análise definidas de acordo com o núcleo. Silvio Chibeni dedicou décadas de estudos para mostrar que o Espiritismo atende a essas questões de ciência (Os artigos podem ser lidos gratuitamente através de pesquisa na internet). Vale destacar que estudos de filosofia da ciência são posteriores a produção de Kardec. Existe toda uma metodologia que deve ser seguido para se aceitar uma informação como conhecimento válido. E, não é trazendo informações de outras ciências que validamos ou não conhecimentos espíritas. Há que se lembrar que todas as pesquisas das ciências possuem um viés materialista, salvo a Doutrina Espírita. Física quântica não comprova Espiritismo. Foto Kirlian não mostra perispírito. Ambos tratam de efeitos materiais. Kardec, na Revista Espírita de 1868 trata também da recepção de ideias científicas novas. Daí porque para a criação ou absorção de um conhecimento novo dentro da Doutrina Espírita muito há que se analisar acerca dela. Perguntas por escrito e comentários serão fornecidas no próximo dia (domingo), junto a exposição do trabalho sobre Magnetismo ou Espiritismo? a ser exposto às 11h00.

A partir das 15h00 até 16h00 – Trabalho sobre uma exploração inicial em análise semântica latente de cartas psicografadas, de autoria de Ademir Xavier Jr.  Kardec entendia a mediunidade  como um processo de comunicação. Uma comunicação não transporta apenas uma informação, mas também impressões, condições psicológicas, etc… O dicionário é a melhor forma de se  descobrir o significado das palavras, mas não fazemos constantemente isso, e sim usando o contexto da mensagem. A medida que nos comunicamos vamos deixando rastros de como  construímos nossas comunicações. Será que podemos reconhecer uma pessoa pela forma de se expressar? Cada um de nós que escreve ou fala possui uma assinatura morfológica, semântica, sintática na nossa forma de se comunicar. É possível a atribuição autoral por conta da estrutura de um autor ao se expressar. Há uma forma de se destacar, através de um dicionário de termos comuns (ou não), para pesquisar determinados termos em cartas (e também) comunicação mediúnica. Por ferramentas da internet (google) é possível se atribuir um determinado texto a algum autor que já tenha suas características revistas no Banco de Dados. Através dessa técnica é possível se atribuir a autoria ou se validar ou não a assinatura de uma mensagem por comparação. Esse processo também permite criar um atestado de excelência mediúnica, apontando se há ou não maior ou menor interferência de
um médium na comunicação. A busca da pesquisa é comprovar a comunicabilidade dos espíritos através da atribuição de autoria de textos mediúnicos, comprovando-se também a comunicabilidade estaremos comprovando a imortalidade da alma (inteligência). Seguiram-se perguntas, respostas e comentários.

Das 16h00 ás 17h15 – Aconteceu a Mesa sobre análise de pesquisas sobre trabalhos científicos relacionados a prece e curas espirituais, sob o comando de Gilmar Trivelato e Jáder Sampaio. Foram apresentados trabalhos não espíritas, realizados dentro do ambiente acadêmico sobre o uso de terapias espirituais complementares, biocampo e ensaio em ratos. O trabalho sobre  terapias espirituais complementares faz críticas sobre a pouca quantidade de estudos sobre o tema. A ideia dos trabalhos não é a análise dos mecanismos terapêuticos, mas sim o  resultado final destes quando utilizados. A conclusão encontrada foram alívios e suspensão temporárias dos sintomas que sofriam de forma a poderem se reinserirem-se a atividades  e rotinas anteriormente abandonadas por conta dos efeitos. Também relata melhoria no bem-estar e qualidade de vida dos participantes. O tratamento espiritual também aumentou a  aderência dos indivíduos ao tratamento tradicional e melhorou a qualidade de vida dos participantes. Ainda concluiu que a terapia espiritual não é um tratamento que vem usurpar  o papel do tratamento tradicional, mas vem ao encontro deste na busca pela saúde dos pacientes. O trabalho sobre biocampo analisou toque terapêutico, Johei, Reiki, prece  intercessora, cura a distância, cura espiritual entre outros. A pesquisa tratou de aplicação de Reiki em bactéria E. Koli. Como resultados foi apurado o bem-estar do aplicador  do Reiki, assim como o ambiente fizeram interferência no crescimento da bactéria. Percebeu-se diferença somente no grupo que aplicava passes com a destinação de reduzir o  crescimento de bactérias. Em relação aos ratos, foi realizado em 24 ratos feridas redondas iguais nas costas dos animais. Em um grupo foi aplicado apenas analgésico e no outro também se aplicou passes espíritas. Percebeu-se um aumento na cicatrização no grupo de ratos que tomaram passes espirituais através da interferência nos fibroblastos, havendo a possibilidade da interferência ter sido nível de enzimas, mas que precisam ser ainda melhor analisadas. Em estudos de passes com seres humanos, encontramos em 1988, na Inglaterra, o Estudo de Michael Dixon realizado em paciências crônicos. Utilizado um curador espiritual da região, percebeu-se que as pessoas tratadas com o passe tiveram os  níveis de ansiedade e depressão diminuídas, e uma melhora da função geral e consequente maior redução dos medicamentos. Em estudos sobre pacientes com transtorno de ansiedade ou depressão, Cavalcante, em 2016, concluiu pela redução significativa da ansiedade e da depressão, com a consequente melhora nos dois grupos. Em relação a seres humanos  portadores de artrite reumatoide, Bliddal (2014), na Dinamarca, foi realizado um estudo de tratamento espiritual sem contato físico e sem conhecimento do tratamento. Foram  separados três grupos: grupo experimental, falso tratamento e grupo sem tratamento. A conclusão foi de que houve melhoras significativas para aqueles que tomaram o tratamento  espiritual e para aqueles que não se submeteram ao tratamento. Duas metanálises realizados nos EUA (ROE, 2015) concluíram que há melhora no bem-estar independente do efeito  placebo e efeito de expectativa. Houveram resultados um pouco menores em plantas, mas ainda aconteceram. Também apontou-se diferença melhores em Johre e Reiki comparados com o  toque terapêutico. Observou-se que a aplicação do passe espiritual promoveu maiores resultados positivos em comparação com os observados pela prece terapêutica. Os pesquisadores  apontaram que há possibilidade dos indivíduos que se submeteram ao Johrei e ao Reiki tenham modificado a sua forma de viver, passado a meditar mais e, com isso, intensificaram  os resultados.

Após este último trabalho, foram encerradas as atividades de sábado.

A seguir, segue a contribuição do Canal Du Bem, em favor das atividades do sábado do Enliphe:

Nas atividades do domingo, aconteceu:

Assembléia Presencial dos membros da Lihpe (Clique aqui para ver)

Enquanto isso, desde às 9h00, no salão principal, aconteceu uma atividade artística com o cantor Tiago Ariel.

A partir das 9h50 até 10h45 – A primeira atividade foi a apresentação de pesquisa em andamento sobre Pomadas, cirurgias e curas espirituais: práticas estranhas versus prática espírita, realizado  por Adolfo de Mendonça Jr. – Apresentou o grupo de pesquisa, e os termos de sua pesquisa de teor qualitativo e a metodologia do trabalho da pesquisa adotado, ou seja, adotou-se  a entrevistas orais para angariar as informações relevantes. Foi apesentado a amostra utilizada, inclusive com a exposição e análise de 3 entrevistas realizadas dentre os  indivíduos pesquisados. Comentou que a pesquisa baseou-se em estudos sobre “mediunidade curadora” em obras de Allan Kardec: Livro dos Espíritos, Gênese e a Revista Espírita, e  em pesquisas científicas, artigos, teses sobre o assunto. Foram realizadas evocações de colaboradores espirituais. Foram apresentados os resultados de 3 casos apresentados  minuciosamente com análises e ponderações sobre resultados e comunicações envolvidas. Seguiram-se perguntas e comentários.

A parti das 11h05 até 11h30 – Foi apresentado o trabalho sobre Identificação de água fluidificada/energizada por médium vidente: Um experimento piloto, de autoria Janaina Dantas e Sandro  Fontana, apresentado por este último. O objetivo da pesquisa é descobrir ser possível ver água fluidificada, em vistas haver a afirmação de uma médium vidente de que ela é capaz de identificar a água fluidificada. Albert de Rochas, séc. XIX, escreveu acerca da da ideia de que a água fluidificada apresentava cores a vistas de médiuns videntes, e ele foi  escolhido para embasamento teórico, juntamente com Monezi, Baumann e Tsuyoshi, por apresentarem estudos ligados a passes e a cura, Fontana e Abatte que pesquisaram as fotos  kirlian em águas fluidificada. A proposição que adveio dos estudos é de que a vidência é uma percepção. Foram apresentados os métodos da pesquisa, os resultados e as análises  estatísticas. Foram abordadas detalhes e algumas questões ocorridas no desenvolvimento da pesquisa. A conclusão aponta algum poder de visão mediúnica, ainda que não fosse o mote  da pesquisa, que era compreender os mecanismos dos passes e da magnetização da água fluidificada. Verificou-se que a mediunidade de visão é instável. Observou-se uma  ineficiência dos passes coletivos. O autor apontou algumas questões sobre conhecimento, verdade e crença, assim como a ausência de pesquisas com questões espíritas por conta da  baixa aderência dos médiuns para sujeitarem-se a pesquisas. Também abordou a questão do pensamento do Movimento Espírita sobre não se questionar as informações oferecidas pelos  médiuns. Sobrevieram perguntas, respostas e comentários.

A partir das 11h30 até 11h45Alexandre Fontes da Fonseca abordou o tema Magnetismo ou Espiritismo? tudo bem entre os dois? Foi realizada uma reflexão e análise do uso dos termos e o que significa de fato. A Doutrina Espírita, assim como toda área da ciência, possui critérios para sua evolução e a produção de novos conhecimentos. A Doutrina Espírita possui  mecanismos para assimilar doutrinas progressistas, utilizando-se critérios bem definidos: reconhecer verdades práticas e abandonar o campo das utopias. Apresentou informações  históricas sobre o magnetismo e sua evolução para a compreensão do magnetismo animal. Também abordou as relações do magnetismo e do Espiritismo. Mostrou que Kardec simpatizava  com o magnetismo e afirmou no princípio que para compreender o Espiritismo deveria o magnetismo, ideia que ao longo do tempo modificou-se na cabeça do codificador, apresentando  as razões para mudança de suas concepções embasado em diversos escritos de Allan Kardec. O Espiritismo propôs outras e novas explicações para os fenômenos diferenciados daqueles  fornecidos pelo magnetismo. A conclusão é que o magnetismo animal não fincou o é na ciência oficial, como acreditou Kardec que ocorreria. Mas, magnetismo foi um termo muito  utilizado à época do Magnetismo Animal e do Espiritismo, hoje explicado claramente pela física claramente relacionado com a movimentação de cargas. hoje não se sustenta o uso do  termo dentro do Espiritismo posto que o magnetismo tem relação com a distância, algo que não influencia a ação dos fluidos nos passes. A utilização do termo magnetismo não se  traduz em avanço científico e nem representa progresso. Cada ramo de ciência toma cuidado para não aceitar como verdades informações que realmente não são bem compreendidas ou  bem explicadas, que podem estar aparentemente apenas refutando algum conhecimento doutrinário já solidificado. Energia é uma propriedade de bases materiais, por isso não traduz  bem alguma ideia. Diversas perguntas, respostas e comentários advieram.

A partir das 12h20 até 13h00, ocorreu a homenagem a Lamartine Palhano Jr. por Raphael Vivacqua Carneiro, que trouxe muitas informações a respeito das pesquisas realizadas pelo homenageado. Embora Palhano Jr. tenha uma vida curta, falecido aos 54 anos, publicou diversas obras em sua área de atuação e dentro do Espiritismo (41 livros de cunho espírita, apresentando grande variada temática. Teve uma intensa vida dentro do Movimento Espírita Mineiro, participando de movimentos da infância e juventude, e atuando como diretor da Federativa na área da Mocidade, Doutrina e Pesquisa, e Fundador da Fundação Espirita Santense de Pesquisa Espírita. Ele foi autor de um dicionário de verbetes espíritas de fácil compreensão. Das obras foram destacadas “Passes e magnetismo curador“, “O livro da Prece“, “Transe e Mediunidade” e “Reuniões Mediúnicas: teoria e prática“.

Às 12h30 ocorreram comentários finais, agradecimentos e prece de encerramento, por Ney Prieto Peres.

A seguir, segue a contribuição do Canal Du Bem, em favor das atividades do domingo do Enliphe:


__________

O encontro contou com a inscrição de cerca de 104 pessoas, e a participação de mais de 120 pessoas, entre inscritos, participantes, equipes técnicas e organização acompanhando pessoalmente o evento, e várias outras acompanhando e comentando os acontecimentos via página da internet da LIHPE, e-mail e página do grupo no FACEBOOK.

Quem quiser ver mais fotos
e acompanhar os comentários
no FACEBOOK

Comments are closed.