Propostas do 3º ENLIHPE

Abaixo, temos um fragmento da apresentação de Jáder Sampaio no 6º ENLIHPE, onde ele descreve os pontos propostos no 3º ENLIHPE:

1. O movimento espírita necessita se perceber como tendo uma identidade cultural própria e não apenas como um movimento religioso.

2. O movimento espírita deveria elaborar e encaminhar projetos culturais, viabilizando-os com fundos públicos e incentivos fiscais.

3. Os órgãos federativos devem formar grupos de trabalho em suas respectivas esferas (municipal, estadual e federal) para identificar e orientar centros espíritas sobre a legislação e a utilização incentivos próprios à cultura.

4. O movimento espírita deve construir Centros de Cultura e Documentação regionais, a serem articulados entre si, com a finalidade de colecionar, preservar e divulgar fontes históricas (documentos, livros, imagens, jornais, etc.) regionais. Estes centros viabilizarão a pesquisa histórica do movimento espírita brasileiro no futuro.

5. Devemos empreender esforços no sentido de recuperar e preservar a obra de autores e personalidades consideradas importantes para o movimento espírita, sob a pena das gerações futuras terem dificuldades ou não terem como consultar esses livros e documentos e passarem a entender o passado a partir de narrativas ou lendas.

6. As sociedades espíritas devem ter uma política clara para que suas livrarias sejam efetivamente espaços de divulgação da doutrina espírita e suas bibliotecas venham a construir um acervo de obras para a realização de estudos por parte dos interessados.

7. Dever-se-ia empreender um esforço para o fomento, intercâmbio e divulgação da pesquisa científica de temas do interesse do movimento espírita e da articulação dos pesquisadores espíritas ou simpatizantes já atuantes nas universidades em linhas de pesquisa ou redes de intercâmbio.